Grãos

Embarques argentinos de trigo estão abaixo das expectativas

jan, 13, 2020 Postado porSylvia Schandert

Semana202003

Segundo dados da Agência Marítima Nabsa, os embarques de trigo da Argentina durante o primeiro mês da campanha 2019/2020 (dezembro de 2019) foram de apenas 1,8 milhão de toneladas, notavelmente abaixo das Declarações Juramentadas de Vendas Estrangeiras (DJVE), que previam um valor de 3,9 milhões de toneladas.

O baixo nível do rio Paraná dificultou o carregamento de navios nos portos da região do UP River, em Santa Fé, que em muitos casos navegavam dos terminais com menos carga do que o habitual. Além disso, na segunda quinzena de dezembro, houve uma combinação de menos dias úteis e chuvas persistentes que limitaram a atividade nos portos.

A expectativa da Bolsa de Rosário é que os embarques registrados para dezembro ainda não realizados sejam remarcados para as próximas semanas, aumentando assim a exigência de logística nos meses de verão. Por esse motivo há um alto volume de embarques programados com o DJVE para janeiro (2,9 milhões de toneladas) e fevereiro (2,6 milhões de toneladas).

O gráfico a seguir, feito pela Bolsa de Comércio de Rosário, mostra a distribuição mensal de embarques de trigo argentino programados para a safra 2019/2020:

Mercados de destino

Quanto ao destino das exportações de trigo, as operações foram lideradas pelo Brasil e pelo Sudeste Asiático. No caso do Brasil, a Bolsa de Comércio de Rosário explicou que os embarques para o país vizinho tiveram sua participação mensal aumentada em 10 pp, representando 35% dos embarques de dezembro e um volume de 630.000 toneladas.

Por sua vez, a Indonésia voltou a se posicionar como o segundo país comprador, com 20% do total e quase 370.000 toneladas importadas.  Ela foi acompanhada por outros países do Sudeste Asiático: Bangladesh, Tailândia, Vietnã e Malásia. Com isso, a região importou 35% do cereal argentino em dezembro.

Já a África, um mercado importante para o trigo argentino, com crescimento considerável nas campanhas recentes, perdeu participação em dezembro de 2019 em comparação com o mesmo mês de 2018. No entanto, a Bolsa de Comércio de Rosário destacou o crescimento da participação de países da África Oriental, como Djibuti, Madagascar e Uganda, em detrimento dos destinos africanos mais comuns localizados no norte da África (Argélia, Marrocos) e na África Ocidental (Nigéria). Os embarques para o continente no primeiro mês da campanha 2019/20 representam 18% do total, com mais de 300.000 toneladas.

O restante das operações, correspondentes a mais de 190.000 toneladas, foram destinadas ao próprio continente sul-americano, graças às compras do Chile, Peru, Equador e Colômbia, que representaram 11% do total, o que está alinhado com sua participação de mercado na América do Sul.

O gráfico abaixo, feito pela Bolsa de Comércio de Rosário, mostra os principais destinos do trigo argentino em dezembro de 2019:

O gráfico a seguir, feito com dados do Indec, mostram as exportações argentinas de soja no período de janeiro de 2015 a novembro de 2019:

Fonte do gráfico: Indec

Sharing is caring!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *