Meat

Brazil’s beef exports rise a record 10.3% in 2018

Jan, 09, 2019 Posted by datamarnews

Week 201902

Secex data shows that Brazil’s beef exports reached a record volume in 2018, up 10.3% to 1.639m tons YoY. Revenues from beef exports increased by 8% year-on-year to US$6.5bn.  The record, however, still stands at US$7.2bn, earned in 2014. Of the total volume of beef exported last year, 43.8% was shipped to China and Hong Kong, compared to 38.2% in 2017. Other good news for Brazilian beef exports is the access it has once again to the Russian market after a block lasting almost a year. Brazilian slaughterhouse Abrafrigo, believes the country’s beef shipments will increase by 5% this year.

The following graph shows Brazil’s beef export trends to China for the last three years: 


Supporting sources:

https://www.valor.com.br/agro/6052653/exportacoes-de-carne-bovina-cresceram-10-e-bateram-recorde-em-2018

Exportações de carne bovina cresceram 10% e bateram recorde em 2018

SÃO PAULO – Maior exportador de carne bovina, com quase 20% no comércio global, o Brasil bateu seu recorde em 2018. De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela Associação Brasileira de Frigoríficos (ABPA), o país exportou 1,639 milhão de toneladas no ano passado, um crescimento de 10,3% na comparação com as 1,485 milhão de toneladas exportadas pelos frigoríficos brasileiros no ano anterior.
Em receita, porém, o recorde de US$ 7,2 bilhões alcançado em 2014 não foi batido. No ano passado, os embarques de carne bovina renderam US$ 6,5 bilhões, incremento de 8% na comparação com os cerca de US$ 6,6 bilhões reportados pelos frigoríficos em 2017.
No ano passado, a China foi a grande responsável pelo crescimento das exportações de carne bovina do Brasil. De acordo com a Abrafrigo, China e Hong Kong representaram 43,8% das vendas, em volume, no ano passado. Em 2017, a participação era de 38,2%.
Ao todo, as exportações para China e Hong Kong — a maior parte da carne exportada para a região administrativa especial do país asiático é consumida na China continental — somaram 717,5 mil toneladas, aumento de 26,4% ante as 567,6 mil toneladas de 2017.
Com isso, a China ajudou a compensar o efeito negativo do embargo da Rússia, que ficou praticamente todo o ano sem comprar carne bovina do Brasil, destacou a Abrafrigo. Moscou proibiu a importação da carne brasileira em novembro de 2017 e só liberou as compras no fim de 2018.
Para 2019, a reabertura da Rússia deve contribuir para o avanço das exportações brasileiras. A Abrafrigo estima que os embarques do produto crescerão ao menos 5%.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *